Seja bem-vindo(a)

quarta-feira, 27 de julho de 2016

TERREMOTO ATINGE COSTA DO CHILE

Da Agência Sputnik Brasil via http://agenciabrasil.ebc.com.br/
Um terremoto de magnitude 6,3 na escala Richter foi registrado no Chile, na madrugada de hoje (27), informa o Serviço Geológico dos Estados Unidos.
O epicentro dos tremores foi localizado a uma profundidade de 10 quilômetros no Oceano Pacífico, próximo à costa da província chilena de Aysen.
Autoridades locais disseram que, até o momento, não houve registro de vítimas e que houve apenas danos pequenos.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

CIPAM APREENDE 73 AVES SILVESTRES EM MONTE ALEGRE, BREJINHO E NOVA CRUZ

Policiais da Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM) apreenderam na tarde desta quinta-feira (21) 73 aves silvestres que estavam sendo criadas em cativeiro nas cidades de Monte Alegre, Brejinho e Nova Cruz.
A PM recebeu a denúncia e ao chegar aos locais flagrou as aves, que estão presentes na lista dos animais ameaçados de extinção, criadas sem nenhuma condição legal. Todas as aves foram encaminhadas ao Aquário Natal para os devidos cuidados e a posterior soltura.
Fonte: Blog de Magno César

segunda-feira, 18 de julho de 2016

COM A ASA QUEBRADA, ARARA-CANINDÉ É RESGATADA POR BOMBEIROS EM MT

Arara foi resgatada em Nova Mutum (MT) (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)Arara foi resgatada em Nova Mutum (MT) (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)
Uma arara-canindé que está com a asa quebrada foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros no município de Nova Mutum, a 269 km de Cuiabá, na tarde desse domingo (17). O animal foi achado numa estrada por um morador, que o levou até a comunidade Ranchão, localizada na zona rural.
Esse morador ligou para o Corpo de Bombeiros de Nova Mutum, que mandou uma equipe. Ao chegarem, os bombeiros pegaram a arara quando ela estava numa cadeira de fio de uma casa na comunidade. A suspeita é que ela tenha quebrado a asa ao bater num caminhão.
Arara resgatada em Nova Mutum (MT) está com a asa quebrada (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)Arara resgatada em Nova Mutum (MT) está com a asa quebrada (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)
"O resgate foi tranquilo. E desde que a arara foi levada para essa comunidade, ela ficou solta, indo de uma casa para outra. Mas não está conseguindo voar", disse o soldado Admilson da Silva, um bombeiros que participaram do resgate.
Soldado Admilson da Silva fez o resgate de arara (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)Soldado Admilson da Silva fez o resgate de arara (Foto: Corpo de Bombeiros/Nova Mutum)
A arara foi levada para a Associação de Proteção aos Animais de Nova Mutum. Lá, deverá passar por tratamento. Se o animal conseguir se recuperar, deverá ser levado novamente para o Corpo de Bombeiros, que fará a soltura na natureza. Se não, deverá continuar sob os cuidados da associação.

terça-feira, 12 de julho de 2016

POLÍCIA AMBIENTAL RESGATA CORPO NO RIO POTENGI

Policiais Militares da Companhia Ambiental (CIPAM), em patrulhamento de rotina nas águas do Rio Potengi na manhã dessa terça feira, 12, resgataram um corpo boiando, e segundo os militares, é de um homem que ainda não foi identificado. Após a remoção do corpo o ITEP foi acionado e fez o translado para autópsia.
Fonte: Jair Sampaio

DÉFICIT HÍDRICO PODE SER DE 40% EM 2030

A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que o planeta poderá ter um déficit de 40% na disponibilidade hídrica até 2030. Apesar dos avanços, ao menos 663 milhões de pessoas ainda não têm acesso a água potável. A ONU prevê que no futuro aproximadamente 1,8 bilhão de pessoas, de uma população mundial superior a sete bilhões, viverão em países ou regiões com escassez hídrica.
Vários fatores agravam a crise atual, como a mudança climática – que desencadeia secas – e os conflitos militares, nos quais a água é utilizada como arma de guerra em várias regiões, incluídos Iraque, Síria e Iêmen. O Grupo de Alto Nível sobre Água, anunciado conjuntamente pela ONU e pelo Banco Mundial no final de abril, mobilizará recursos financeiros e reforçará os investimentos para aumentar o fornecimento de água.
O secretário-geral adjunto da ONU, Jan Eliasson, da Suécia, disse em uma mesa-redonda nas Nações Unidas que a água se encontra no elo entre o desenvolvimento sustentável e a ação climática.“Muita água e nem uma gota para beber”, comentou um dos colegas de Eliasson que visitaram o Paquistão depois de uma grande inundação, em referência aos dois extremos de padrões climáticos, secas por um lado e inundações de outro.
A água potável está em risco todos os dias, devido à falta de saneamento, algo muito comum em muitos países. Atualmente, estima-se que quase dois bilhões de pessoas que bebem água poderia estar contaminada com matéria fecal. O Unicef e outras organizações deverão redobrar os esforços para melhorar o acesso das pessoas a banheiros, e sobretudo para acabar com a defecação ao ar livre.
Com relação a “água, saneamento e higiene, também se deve considerar a mudança climática. As secas, inundações e as condições climáticas extremas repercutem na disponibilidade e segurança da água”, garantiu Wijesekera. Cerca de 160 milhões de menores de cinco anos vivem em zonas com alto risco de seca, enquanto aproximadamente 500 milhões vivem em áreas de inundação, acrescentou.
Para resolver a crise da água, Darcey O’Callaghan, da organização Food and Water Watch, observou que “em primeiro lugar devemos proporcionar suficiente água limpa e segura para todas as pessoas, porque a água é um direito humano. A viabilidade financeira é um elemento crucial para atender essa necessidade”. Em segundo lugar, “devemos proteger a sustentabilidade da água e não extrair das bacias além de sua recarga natural. Se deixarmos que as fontes hídricas sequem, perderemos a capacidade e proteger os direitos humanos das pessoas. Assim, claramente, devemos tratar esses dois temas conjuntamente”, apontou.
Para a água ter uma tarifa acessível, deve ser administrada por uma entidade pública e não por uma que tenha fins lucrativos, recomendou a especialista. Mau serviço, tarifas elevadas e qualidade da água degradada foram algumas das consequências quando se permitiu que empresas privadas controlassem o acesso à água, algo que se conhece como “privatização da água”.
Não há dúvidas de que água e saneamento são direitos humanos, observou a especialista ao ser perguntada se as pessoas devem pagar por esses serviços. O que o público paga é a manutenção da infraestrutura hídrica e da água corrente através das redes de distribuição às moradias, escolas, aos negócios e às instituições governamentais. O’Callaghan afirmou que “a ONU fixou pautas para a acessibilidade à água – em 3% da renda familiar – e estas protegem o direito humano à água. Se a tarifa do serviço de água supera a capacidade de pagamento de uma família, então se trata de uma violação dos direitos humanos”.
Uma estratégia que se mostrou promissora são as associações entre órgãos públicos (APP). Em contraste com a privatização, que coloca as necessidades públicas nas mãos das corporações com fins lucrativos, as APPs reúnem funcionários públicos, trabalhadores e comunidades para oferecer um serviço melhor e mais eficiente. As APPs permitem que duas ou mais empresas públicas de água ou organizações não governamentais somem suas forças e aproveitem suas capacidades compartilhadas, unindo seus recursos, poder de compra e conhecimentos técnicos, enfatizou O’Callaghan.
Fonte: PLANTÃO CAICÓ

segunda-feira, 11 de julho de 2016

SUSTENTABILIDADE: EM UMA SEMANA, UNI-RN APROVEITA 3 MIL LITROS DE ÁGUA


Em uma semana, com aparelhos de ar-condicionado funcionando entre quatro e seis horas por dia, o reservatório do projeto "Aproveitamento da Água Através de Fontes Alternativas" armazenou cerca de 3 mil litros de água. E o mais importante: potável.
O projeto do UNI-RN foi idealizado por professores do curso de Engenharia Civil, com envolvimento dos alunos, e integra o Programa UNI-RN Sustentável. Prevê o aproveitamento da água que cai dos aparelhos de ar-condicionado e das chuvas, mas os 3 mil litros armazenados no reservatório são provenientes apenas dos equipamentos de refrigeração.
Conheça o programa UNI-RN Sustentável
A água armazenada foi coletada de um total de 12 equipamentos que ficam distribuídos nos três laboratórios de Engenharia Civil. A coleta se dá por meio de calhas. Segundo o coordenador do curso, Fábio Pereira, "a iniciativa poderia ser copiada pelo poder público como estratégia de solução para os problemas de abastecimento, tendo em vista que é um projeto simples e os custos para executá-lo são baixos".
Além disso, testes feitos, de maneira confiável, em laboratórios, comprovaram a potabilidade da água que cai dos aparelhos. "É uma água boa, potável, própria para consumo humano", afirma o professor.
O próximo passo, segundo ele, é fazer o aproveitamento, também, da água do mar, utilizando dessalinizadores (equipamentos que transformam a água salgada ou salobra em potável).
Fonte: Blog de Magno César

segunda-feira, 4 de julho de 2016

BALEIA JUBARTE É ENCONTRADA MORTA EM PRAIA DE ARACRUZ, ES

Caique VerliDo G1 ES, com informações do Gazeta OnlineFonte: http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/
Balei foi encontrada morte no litoral de Aracruz (Foto: Divulgação?Prefeitura Municipal de Aracruz)Baleia foi encontrada morta no litoral de Aracruz (Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Aracruz)

Uma baleia jubarte foi encontrada morta em Praia Formosa, em Aracruz, na região Norte doEspírito Santo, na tarde desta segunda-feira (4). Uma equipe da Secretaria Municipal de Transportes e Serviços Urbanos (Setrans) esteve na praia, mas não conseguiu retirar o animal porque ele estava em local de difícil acesso, em meio a pedras.

A baleia jubarte está ameaçada de extinção no mundo. De acordo com o diretor do Instituto Orca, o ambientalista Lupércio Araújo, o animal encontrado é adulto e estava em estado avançado de decomposição.

"A foto mostra que há um objeto transpassado no abdômen da baleia, o que pode ser um cabo de rede de pesca. É uma coisa incomum, como se um cabo de rede estivesse estrangulando o abdômen", conta o ambientalista.

O corpo da baleia estava inchado, segundo Lupércio, por causa da concentração de gases no abdômen, o que é considerado normal.

De acordo com a Prefeitura Municipal de Aracruz é necessário esperar a maré subir para a baleia se aproximar da areia da praia e, então, reiniciar o processo de retirada do animal.

A presença das baleias dessa espécie no litoral capixaba é comum entre os meses de junho e novembro. Durante o verão, elas frequentam as águas polares para se alimentar e, durante o inverno, as águas tropicais e subtropicais para dar à luz.